Home » TERAPIA LUMNI – Terapia de vidas passadas – Apometria – Psicanálise.

TERAPIA LUMNI – Terapia de vidas passadas – Apometria – Psicanálise.

477_grd-710x270

Desejo mostrar a você o que ensino aos meus pacientes no consultório e aos alunos em meus cursos de formação. Abordo aqui o tema que para mim tem sido  importante pelo vasto  benefício que tem trazido às pessoas: a Terapia Lumni.

Ao longo destes anos, entrando em contato com as lembranças das pessoas e de posse de mensagens dos Mestres, espíritos elevadíssimos que nos ensinam e ajudam na nossa evolução, mudei muito minha forma de encarar o ser humano e o universo.

Hoje sei que não somos somente humanos, nem mesmo seres humanos que eventualmente desfrutam de experiências espirituais. Mas, seres espirituais que têm experiências humanas.

teilhard-de-chardin

Possuímos diversas dimensões que podemos vivenciar e das quais podemos usufruir. Temos em nosso espírito possibilidades acima do tempo e das limitações físicas. E há muitas formas de entrar em contato com o Eu superior que abrigamos.

Trata-se de um caminho no qual, quanto mais avançamos, mais nos tornamos capazes de alcançar graus cada vez mais elevados de espiritualidade.

Assim como a regressão, as outras técnicas que utilizo na Terapia Lumni, a visão quântica da realidade,  desenvolve uma progressiva capacidade de conscientização, abrindo as portas do inconsciente.  Assim como a regressão, outros recursos podem nos ajudar nessa caminhada.

A Terapia Lumni é uma nova modalidade terapêutica, criada a partir de três técnicas básicas. A primeira delas é a associação livre da Psicanálise – o paciente é encorajado a dizer o que vem à sua mente. A segunda é a apometria quântica, que trabalha o paciente em desdobramento astral. Leva-se a pessoa a um relaxamento profundo, não hipnótico, fazendo com que o paciente entre em contato com suas emoções mais profundas, trazendo- as à tona e tratando-as. Esse método desenvolve uma progressiva capacidade de conscientização, abrindo as portas do inconsciente. A terceira técnica é a  regressão de memória.

6d6c6f8f-81bb-443e-a2ac-2574b61ce95e

As lembranças de nossas vidas passadas e de nossas estadas na dimensão espiritual, entre uma e outra encarnação, encontram-se guardadas no inconsciente. Sendo o plano mais criativo e clarividente da mente, de lá trazemos recursos espirituais, psíquicos e intelectuais  muito úteis ao nosso dia a dia.

Mais do que isso: através da nova visão quântica, vivenciamos uma beleza interior que nos faz repensar tudo o que nos rodeia e a nós mesmos. Faz-nos confiar na capacidade que, de fato, possuímos de utilizar e direcionar nossas energias para a purificação de nosso corpo e de nossa mente, para a descoberta e o desenvolvimento  de nossa espiritualidade.

Estou aqui hoje para falar para vocês sobre esta terapia que pude desenvolver ao longo destes anos em que me dediquei aos estudos em diversas áreas: a estrutura da mente humana através da psicanálise, a filosofia que se consegue extrair através da nova física chamada quântica, da apometria clínica que almeja elevar o ser vibracionalmente falando para que se alcance novos patamares energéticos promovendo o salto quântico individual.

Porém, gostaria antes de falar um pouco sobre mim, para que vejam o caminho que pude percorrer até chegar a esta modalidade tão completa de terapia que abarca o ser humano como um todo, fazendo-o entrar em contato com o que podemos hoje de mais profundo em nós.

Comecei meu caminho através da psicanálise. Escolhi a Psicanálise porque inventei que iria viver apenas de mente. Não queria contato com ninguém. Mas a psicanálise é implacável. Mesmo contra a minha vontade, apresentou-me o universo humano. Ingressei no Instituto Freud de Psicanálise em Juiz de Fora em 1980 e por lá fiquei durante oito anos estudando – a teoria, a técnica, a clínica e a formação analíticas. Freudiana, que naquela época, Lacan ainda falava só para a Europa.

 Cliniquei com fervor até bater uma inquietude que me fez procurar outras formas de se entender o ser humano. Fiz a formação em acupuntura e medicina chinesa. Neste meio tempo, conheci o Dr. Brian Weiss que veio ao Brasil e ministrou workshops de regressão de memória: eu estava lá. Interessei-me e coloquei em prática.  O mundo extra físico mostrou-se a mim através dos relatos dos pacientes em estado alterado de consciência. Recorri ao Reiki, que me presenteou com mentores de luz que me guiam até hoje e permitiram que eu fizesse up grades importantes na prática clínica.

 A visão do mundo espiritual se aprimora e aguça minha fé. Posso dizer que nunca passei um dia sequer sem ler e estudar. Também fiquei “famosa” aqui em casa: “você não para de inventar moda, heim mãe, seu ETzinho maluco”. E eu respondo: “Não tem jeito: sou astronauta, cabeça nas nuvens, olhos nas estrelas”.Em 2008, resolvi ir para Paris. Estudei Psicanálise associada à Antropologia e à Psicanálise Transcultural o que ampliou meus horizontes.

Quando me deparei pela primeira vez com a obra de Teillard de Chardin, eu estava numa biblioteca pública em Paris, absolutamente imersa em um projeto que não deslanchava, e para desestressar um pouco, comecei a caminhar por entre os corredores da biblioteca. Caminhando lentamente e olhando para aquelas coleções, parei. Retirei um livro qualquer da estante e vi se tratar deste senhor francês, padre, teólogo, paleontólogo, filósofo. Comecei a ler e fui arregalando os olhos diante de pensamentos que eu reconhecia como fundamentais para que o meu conhecimento tomasse forma. O Fenômeno Humano – seu livro mais conhecido, que nos fala do conflito entre ciência e espiritualidade, revela a dura trajetória de vida desse homem incomparável que viveu na pele a incompreensão das pessoas de seu tempo, diante daquilo que desconheciam. A partir deste dia, ancorada nos estudos que fui realizando, me aprofundando em seus ensinamentos, me trabalhei para receber através de contatos mediúnicos com este mestre que tem sido meu guia de jornada para que a nova técnica terapêutica quântica  Lumni seja construída.

A Ida a paris, além de me abrir a visão ao Mestre espiritual, fez-me pensar no ser humano que precisa se adaptar à sua cultura, subjugado à raça e pude falar do Banzo moderno que acompanha o imigrante que perde sua identidade e adoece quando é retirado à força de sua terra natal e perde a esperança de ser quem é. De volta à Belo Horizonte, retomei meu trabalho clínico, onde associo todo o conhecimento que adquiri ao longo de mais de 30 anos de estudos voltados à compreensão do homem.

Chegando aqui, fiz estudos independentes sobre Apometria, técnica baseada na física quântica que utiliza o poder da mente em desdobramento para acessar níveis de conhecimentos dos corpos sutis e do mundo espiritual que nos cerca, com o objetivo de acelerar a compreensão e a cura de si mesmo.

 Psicanálise, antropologia, medicina chinesa, reiki, regressão a vidas passadas, técnicas apométricas: tudo que aprendi ao longo destes anos me faz pensar no quanto é necessário que tenhamos uma visão integral do ser humano e mais, que somos parte do universo em evolução. Assim como é em cima, assim é em baixo – Hermes Trimesgisto me avisa que o interior e o exterior são UM, que precisamos entrar em nós mesmos tanto quanto sair de nós! Que o novo homem que vai nascer terá que desenvolver seus dons conhecendo-se a si mesmo na medida em que cria vida externa. Hoje, vejo que estamos num momento crucial no processo evolutivo da Terra e gostaria de sonhar um mundo melhor onde eu possa auxiliar àqueles que quiserem a fazer o caminho.

 Desta forma, proponho que a terapia Lumni possua dois objetivos principais: o primeiro é individual: elevar o homem a patamares sutis desconhecidos por ele mesmo, fazendo com que construa sua própria liberdade e qualidade existencial, abrindo as janelas cósmicas para ele.

O segundo é atingir uma revolução social, promovendo a formação de uma sociedade quântica, onde todo o movimento evolutivo esteja premente nos grupos que o desenvolve.

Compreendo que para que possamos atingir novos paradigmas, quebrando com os antigos, será necessário acessar novos conhecimentos que exigirão de nós um movimento em direções diferentes.

Vamos então conversar um pouco sobre eles:

“Não abro mão do conhecimento psicanalítico, mas fui reinterpretando os métodos e reinventando formas cada vez mais eficazes de se atingir o inatingível: o nosso inconsciente” – Carmem Farage

Através da teoria psicanalítica temos o instrumento correto que nos auxilia na compreensão da estrutura psíquica do ser humano. A Terapia Lumni não utiliza o arsenal técnico psicanalítico, embora o reconheça como lícito. Mas é, de fato, baseada na teoria da psicanálise que colocamos as bases para o entendimento das fantasias inconscientes que jazem no indivíduo sem que ele mesmo saiba disso.

Através da regressão de memória, podemos caminhar com o paciente até sua infância, sede da formação da personalidade, para verificarmos se ainda há algo que está presente e determinando padrões indesejados de comportamento e a consequente elaboração deverá ser realizada para que o paciente promova em si os desbloqueios que o impedem de ir mais longe, tornando-o o maior inimigo de si mesmo.

O mesmo fazemos com a regressão a outras vidas. Podemos extrair delas um vasto conteúdo histórico/psicológico que justifica o processo cármico, atrelando o paciente a si mesmo, dando voz àquilo que antes lhe parecia insólito e sem sentido em seus padrões de comportamento.

Estes registros do passado trazem consigo marcas tão profundas às vezes, que nos obriga a trabalhar com as “formas pensamento” criadas a partir de tais vivências e acessando-as, liberá-las na luz, desimpedindo cármicamente o paciente. As “formas pensamento” ou holopensenes, são materializações energéticas de padrões ou personagem que criam vida em nós, influenciando nosso modus operandi sem que saibamos.

A física quântica nos dá o suporte e viabiliza a compreensão da não materialidade da matéria e da não existência do tempo linear como compreendemos.

A Terapia Lumni inova e utiliza como base a união de três metodologias científicas utilizadas para tratamentos psicoterápicos que também relacionam a mente com o espírito numa abordagem inédita de entendimento do Homem.

1 – A Apometria Clínica, onde a mente é deslocada do corpo e do tempo/espaço através de conceitos da física quântica para tratamento de corpos sutis.

2 – A Terapia de Vidas Passadas, onde, sem utilizar hipnose, apenas em estado alterado de consciência, em relaxamento profundo, o paciente é levado às profundezas de sua memória podendo acessar situações de épocas muito remotas, até mesmo de outras vidas.

3 – A Psicanálise, onde toda a informação originada da aplicação das técnicas anteriores é trabalhada em consultório em forma de psicoterapia convencional, auxiliando o paciente a compreender a si mesmo e buscar sua melhor relação com o mundo, abrindo as portas para a satisfação pessoal e a felicidade.

A sintonia entre esses três elementos são a base para atingir os resultados esperados e a nossa principal figura, de onde partem todos os conteúdos descritivos sobre os procedimentos.

COMO FUNCIONA?

Começo a Terapia Lumni pedindo ao paciente que feche os olhos, relaxe os músculos e tranquilize a respiração. Aos poucos, a pessoa vai pedindo à sua mente que afaste o alarido de vozes que normalmente a atordoam, alterando ligeiramente o estado de consciência, porém sem perder a consciência de si.

Neste estado ligeiramente alterado, o qual chamarei de hipnagógico, poderemos acessar níveis profundos e camadas quânticas pessoais, de acordo com nosso nível vibracional, promovendo visões intra e extra mundos, facilitando a cura.

Introduzimos um relaxamento para atingir as ondas Alfa do cérebro, com frequência de 8 a 13 Hz, fazendo com que o paciente entre num estado de repouso e relaxamento mental.

O estado de consciência é o de calma, tranquilidade e paz. Em seguida, aprofundamos o relaxamento a fim de atingir as ondas Theta, que são ondas da meditação profunda, da visualização, da inspiração e da criatividade, com frequência de 5 a 7 Hz. Lembramos que não se trata de hipnose, ou seja, a pessoa tem total consciência do ambiente à sua volta e do processo em andamento.

Ao atingir esta frequência, ativamos na pessoa a clarividência ou sua visão multidimensional. Clarividência é uma visão do presente. E, variando de pessoa para pessoa, abriremos a visão multidimensional através de frequência/sintonia, que possibilita o trabalho terapêutico profundo.Podemos também acessar a clarividência extra física, projetando o indivíduo ao ambiente externo além de acessar a autoscopia projetiva desenvolvendo a capacidade do indivíduo de sentir e/ou visualizar a si mesmo e perceber seus corpos energéticos.

Logo após adquirir o conhecimento de si mesmo e do ambiente externo, ensinamos ao paciente as diversas formas de auto cura, acessando ferramentas mentais. A Terapia Lumni é uma terapia considerada breve, embora devamos utilizar os instrumentais psicológicos para a compreensão emocional do histórico do paciente, e isso requer algum tempo de elaboração, que deverá ser feito intercalando às técnicas apométricas ao longo de alguns meses. A elaboração serve também como suporte para que o paciente sinta-se seguro e compreenda as etapas do processo. Lembrando que o medo é um grande e desnecessário entrave ao tratamento. Observamos inclusive, que, com o suporte psicoterapêutico, o paciente abre uma compreensão de si mesmo como ser único no universo e promove significado para sua existência. Podemos através das técnicas alcançar:

1.Limpeza energética sobre o corpo sutil.

2.Visualização e reprogramação para o futuro.

3.visualização, entendimento e reprogramação do passado.

4.contato com o EU superior e inserção deste no presente.

5.Visualização das origens espirituais.

6.Experiência intra-uterina e desbloqueios cármicos com a família de origem.

7.Limpezas energéticas dos ambientes sutis e pessoas de nossa convivência.

8.Cura sobre si mesmo.

  1. Despossessão espiritual e encaminhamento de pessoas desencarnadas para tratamento espiritual.
  2. Equilíbrio dos chakras.
  3. Proteção espiritual.

É uma técnica simples, porém de alcance multidimensional! Podemos fazer uma analogia da Terapia Lumni com os fenômenos eletromagnéticos estudados pela física. Nossa premissa é a de que a energia mental pode se agrupar ao receber uma “ordem”, tendo sua vibração reduzida e condensada em forma de fluxo energético, que será dirigida a um objetivo pré-definido ou decodificado pelo terapeuta através da fala e dos relatos do paciente em estado alterado de consciência. O fundamento científico parte da hipótese de que a mente é a fonte da energia empregada na “auto-observação” induzida. Dentro desta hipótese, o pensamento é irradiado na forma de fluxo mento-eletro-magnético de altíssima frequência e tem comportamento análogo às ondas eletro-magnéticas. Parte-se da premissa de que a energia mental pode ser direcionada pela vontade consciente em forma de fluxo energético. Utiliza-se de uma contagem numérica e pede que a pessoa faça uma livre associação de idéias, para levá-la ao passado desta ou de outras vidas, que serão traduzidas e tratadas pelo terapeuta.

O importante é trazer à tona histórias que explicam e decodificam os bloqueios para que possam ser tratados. Deixando a mente livre, a própria pessoa nos mostra o caminho e em seguida, utilizamos a contagem de pulsos energéticos para atingir o objetivo desejado, promovendo a reparação e a ressignificação das formas mentais (formas pensamento) inconscientes criadas pelas vivencias da pessoa. Tudo o que vivemos fica registrado. Esse registro cria vida própria dentro de nossa estrutura psíquica, determinando padrões de comportamento muitas vezes indesejados e até mesmo doentios. As dificuldades do dia a dia podem ser assim compreendidas. Se pudermos chegar à fonte de seu armazenamento mental e tratá-las, mudaremos os padrões de comportamento que muitas vezes nos impedem de conquistar melhorias na vida. Utilizando o princípio psicanalítico de que o inconsciente é inteligente e sabendo onde ir no passado, percebemos que a pessoa traz à tona justamente aquilo que deverá tratar naquele exato momento.

Trata-se de uma técnica terapêutica que fortalece o poder mental de criação, abre os canais intuitivos e promove a finalização dos Carmas, além de aguçar a intuição. Pode-se abrir a visão multidimensional. Trata-se também de uma técnica anímica enquanto disponibiliza e direciona energias mentais e vitais da própria pessoa e do terapeuta em direção à cura e ao auto-conhecimento. Faz parte da nova medicina, que utiliza o poder mental subjacente a todos nós, ampliando as possibilidades humanas a um lugar individual e de poder próprio.

É uma questão de vivenciar intensamente esse momento, com desprendimento e entrega. Apesar de alguns acharem que só o que se faz numa terapia é remexer no passado das pessoas, devemos entender as terapias como uma maneira de tratar nossos problemas no presente.

É no presente que está a felicidade. Só que a mente humana é um mistério maravilhoso, capaz de nos levar tanto ao céu quanto ao inferno criados por nós. Vivenciamos traumas, principalmente quando crianças, tão devastadores, que gravam seus efeitos na mente e na alma por muitas existências.

Pode acontecer, de determinado fato ser doloroso demais para permanecer na memória. No entanto, empurrados para o inconsciente, seus efeitos, as reações físicas e emocionais desencadeadas, permanecem.

Em termos simples, o que fazemos agora, é levar a pessoa a recordar a origem de suas reações, seus reflexos físicos, seus medos, sua raiva, sua dor. Ao localizar o momento traumático, a pessoa tem a oportunidade de livrar-se dos sintomas, percebendo que se trata de algo pelo qual já passou, resignificando os fatos. Não a ameaça mais. Além disso, abrimos a visão extra-física, complementando o trabalho com a luz disponibilizada pelo mundo astral superior, retirando todas as marcas e registros dos corpos sutis, principalmente do perispírito.

Assim, abrimos caminho para a paz interior, para o equilíbrio e para o desenvolvimento de nossa espiritualidade.

A Terapia Lumni tem um lugar privilegiado neste momento do planeta, como um novo caminho. Novo porque reúne em si ferramentas, as mais amplas de que pudemos tomar ciência, enxergando no Homem, um universo ainda não descortinado anteriormente por outras formas de terapia.

O mundo de hoje invade nosso cotidiano, e até mesmo nossos momentos de descanso e lazer, com pressões e demandas que se acumulam, tumultuando nossa mente.

Torna-se cada vez mais difícil voltarmos para nós mesmos, tentando iluminar nosso íntimo e visualizar a causa de nossas angústias.

Sob ameaça, o organismo e a consciência colocam-se em alerta, acelerando o metabolismo, ativando toda uma sequencia  de reações físicas e emocionais. O medo – chamado pela psiquiatria de “síndrome do pânico”, uma doença da atualidade, é também um alarme, disparando a necessidade da pessoa mobilizar-se, proteger-se.

A Terapia Lumni nos ajuda a limpar a mente.  Desembaraça-nos de tensões, de formas pensamentos que nos rodeiam e perseguem, e daquilo que retemos na consciência sob a forma de inquietação, angústia e incapacidades.

Todos os registros que armazenamos, as formas pensamento e as incompreensões geradas nos sofrimentos do passado. Seus efeitos são duradouros e mais: mudam a maneira de encarar a si mesmo como ser individual e único, assim como ao universo que nos rodeia. Torna a mente mais sensível e capaz ao que é, de fato, essencial.

Tenho observado que a Terapia Lumni amplia a capacidade paulatinamente. Numa progressão tal que torna a pessoa capaz de caminhar sozinha após um período de “treino” mental.

Eu própria, com o tempo, fui sendo capaz de manter-me conectada aos mentores que me acompanham e tornar conscientes histórias e conexões passadas que mudaram completamente meus paradigmas existenciais.

Além de ter cada vez mais insights que me ajudam a resolver problemas presentes. É importante ressaltar que a prática da Terapia Lumni traz muitos benefícios. Quanto mais nos aprofundamos na prática, e isto é possível com cada técnica, quero dizer, dentro de uma mesma técnica é possível atingirmos níveis cada vez mais profundos de “visão”, e mais iremos nos distanciar do plano das aparências e das ilusões.

Todos os problemas que antes nos impediam, vão ficando pequenos demais diante da imensidão de conhecimentos que vamos adquirindo.

Cada vez mais iremos nos envolvendo com camadas superiores e profundas de nós mesmos, com sua capacidade de amar.

Por consequência, ao introjetarmos novos conceitos sobre a vida e compreensão desta capacidade amorosa que nos habita, ao descobrirmos que possuímos este Dom tão precioso, tão repleto de beleza, nos sentimos seres dignos de ser amados e de alcançar a felicidade.

Somos sim, seres luminosos e iluminados. Temos, sim, o poder da criação em nós. A espiritualidade que cura e traz equilíbrio é essa capacidade de amar, de nos sentirmos seres com capacidade inestimável de criar através da luz. E será o que nos dará instrumentos próprios, munidos de habilidades impressionantes. A vida, e seus obstáculos, naturalmente passarão a ser simples.

Os físicos chamam o pensamento de “pré-matéria”! E a pré-matéria pode se mover através do tempo. Einstein e seus seguidores mostraram que tudo o que move mais depressa que a luz pode ser observado em sequências temporais inversas. Dizem que uma onda quântica é uma onda de probabilidades que se move mais depressa que a luz e conecta nossas mentes com o mundo físico. As ondas quânticas estão em nossas mentes e também fora delas, no mundo, determinando a probabilidade da ocorrência dos fatos.

Pode o pensamento influenciar a intensidade das ondas quânticas?

A resposta é sim, porém, para melhor compreendermos tal preceito, precisamos nos aprofundar um pouco mais em conhecimentos. Chamamos de “energia da alma” este tipo de energia que todos os seres humanos, vivos ou mortos, emitem. Lugares e objetos inanimados também encerram energia psíquica.

“A energia da alma contém todos os tipos de informação sobre o passado, o presente e o futuro. Nossos outros sentidos não conseguem percebê-la, mas nosso sexto sentido consegue capturá-la.” Afirma Jeffrey A. Wands.

MAIS RÁPIDO QUE A VELOCIDADE DA LUZ?

110

Em 1982, uma equipe de pesquisa da universidade de Paris realizou um experimento que conduziu à teoria do entrelaçamento. Liderada pelo físico francês Alain Aspect, a equipe descobriu que partículas subatômicas (sob circunstancias  particulares) podem se comunicar instantaneamente umas com as outras independentemente da distância que as separa, mesmo que seja de bilhões de quilômetros. Os pesquisadores conseguiram demonstrar que essas partículas podiam efetivamente fazer isso com velocidades superiores à da luz.

Se as partículas de quaisquer objetos pudessem viajar mais depressa que a velocidade da luz, elas também poderiam romper a barreira de tempo. Esse experimento suscitou novas pesquisas, com os cientistas se agitando para comprovar ou contestar a descoberta de Aspect. O físico david Bohm, da Universidade de Londres, sugeriu que talvez o experimento de Aspect comprovasse outra coisa bem diferente: o universo que vemos nada mais seria que um holograma, embora enorme e altamente complexo.

Segundo o princípio da holografia, as partículas conseguem se comunicar ao longo de grandes distâncias porque, na verdade, elas não estão separadas. As partículas, no nível mais profundo da realidade, não são indivíduos, mas partes de um todo maior e mais fundamental.

Outras teorias surgiram para endossar a ideia do universo holográfico. E, sendo bastante simplista, o que nos interessa agora não é embrenharmos em teorias da física quântica, mas tornar possível ao nosso raciocínio saber que estamos todos interligados e que nossa mente pode mover as energias do universo.

nosso-universo-pode-ser-um-holograma-gigante

Menos sujeitos a inibições e constrangimentos, o inconsciente torna-se uma matriz de criatividade e de respostas intuitivas.

Criatividade e intuição. Duas fontes de realização, e que habitualmente subestimamos  ou reprimimos. Devagar, a intimidade com nosso inconsciente, nos faz capazes de confiar na contribuição única e original que temos que dar ao mundo.

Condicionados a respostas padronizadas, nos deixamos enredar pelos problemas e dificuldades. Tudo, às vezes, parece virar um beco sem saída. Entretanto, pode ser apenas questão de conhecer-se o bastante para ser livre e para agir em acordo com seu ser superior.

A Terapia Lumni nos leva a experiências com a mente, com o corpo e com o espírito. Existem muitas coisas que ainda não podemos explicar. Mas minha experiência comprova que, acessando o ser quântico que somos, somos levados ao encontro de nosso eu mais poderoso e essencial.

É um caminho que requer entrega e desapego, para que se possa quebrar resistências e abrir as portas a algo novo em nós.

Mesmo assim, nos exige menos que as aflições que tomam conta de nós quando vivemos num mundo ordinário.

Trata-se de uma viagem solitária, facilitada pelo Terapeuta Lumni, treinado exclusivamente para isso,  que nos permite compreender, que na realidade,  não estamos sós.

Justamente por isso, o significado terapêutico se amplia de tal forma, trazendo novos significados, a nada podendo ser comparado hoje.

Não é apenas a busca da espiritualidade, do algo a ser alcançado. A espiritualidade maior está na maneira como buscamos, voltados para nosso íntimo, compreendendo que somos responsáveis por nosso aprendizado. Os únicos responsáveis.

Não há outra maneira de evoluir e buscar a espiritualidade a não ser nos conhecendo. Transformando nossos medos e limitações  em força e alegria. Essa é a principal lição.

Nossa tarefa no plano físico é aprender. Aprender no sentido mais amplo possível, a cada dia e a cada salto quântico.

O conhecimento que nos torna divinos, sai de dentro de nós mesmos e é individual.

Nós somos maiores que nosso corpo, maiores que nossas mentes.

Nós somos maravilhosos seres de luz e amor, imortais, eternos. Somos maoires que nossos medos, ansiedades, nossos rancores  e preocupações. Somos maiores, até mesmo, do que nossos sofrimentos.

Estamos sempre rodeados de amor. Um amor que pode proteger e confortar.  Pode nos alimentar e nos oferecer realizações.

Podemos visualizar o amor que nos circunda. Podemos reencontrá-lo nas profundezas do nosso próprio Eu, na nossa imensidão interior, de onde conseguiremos sempre olhar o mundo  e nos sentirmos capazes de  torná-lo um lugar mais feliz para nós e para aqueles que nos rodeiam. Dentro de nós há um magnífico universo a nossa espera.

Carmem Farage